JIF (JCR): 1,297; SJR: 0,408; H Index Scopus: 34; Qualis na área de Enfermagem: A1

ISSN: 1518-8345

  • USP
  • Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto USP
  • Who Collaborating Centre

Número Atual: V29

Artigos Originais

Tendência empreendedora de estudantes de enfermagem: comparação entre alunos de graduação iniciantes e concluintes

Entrepreneurial tendency of Nursing students: a comparison between graduating beginners and undergraduate students

Liana Amorim Corrêa Trotte, José Luís Guedes dos Santos, Caroline Ferreira Neris Sarat, Maria Gefé da Rosa Mesquita, Marluci Andrade Conceição Stipp, Patrícia de Souza, Quézia Guedes de Mello Duarte, Bruno de Campos Gobato, Claudia Feio da Maia Lima

Objetivo: comparar a tendência empreendedora entre alunos iniciantes e concluintes de cursos de graduação em enfermagem. Método: trata-se de uma pesquisa quantitativa, de caráter transversal. Os dados foram coletados com 377 estudantes de enfermagem de quatro cursos de graduação em enfermagem de diferentes regiões do Brasil, sendo 162 do primeiro ano e 215 do último ano. Coletaram-se os dados por meio de uma ficha de caracterização social e acadêmica e o Teste de Tendência Empreendedora Geral. A análise dos dados foi meio de estatística descritiva e inferencial. Resultados: as pontuações dos alunos iniciantes ficaram abaixo da média em todas dimensões do instrumento. Os alunos concluintes ficaram acima da média do teste na dimensão Impulso e determinação. Identificou-se diferença estatisticamente significativa em relação ao período do curso e a tendência empreendedora nas dimensões: Necessidade de realização (p=0,001) e Impulso e determinação (p=0,000). Conclusão: os resultados indicam a importância do investimento das universidades no desenvolvimento de uma cultura empreendedora no ensino superior em enfermagem.

Associação entre arranjo domiciliar e qualidade de vida de idosos da comunidade

Association between living arrangement and quality of life for older adults in the community

Alisson Fernandes Bolina, Mayssa da Conceição Araújo, Vanderlei José Haas, Darlene Mara dos Santos Tavares

Objetivo: comparar as características sociodemográficas e econômicas de idosos da comunidade segundo o arranjo domiciliar e verificar associação entre o tipo de arranjo domiciliar e os escores de qualidade de vida. Método: estudo epidemiológico transversal, com 796 idosos da comunidade. Para avaliar qualidade de vida (variável dependente), rede e apoio social (variável de ajuste), foram utilizados instrumentos validados e aplicados teste qui-quadrado, análise estatística descritiva, análise de comparações múltiplas (ANOVA) e modelo de regressão linear múltipla (p<0,05). Resultados: os idosos que residiam somente com os cônjuges apresentaram melhores escores de qualidade de vida em todos os domínios e facetas, exceto no domínio morte e morrer, que não evidenciou diferença significativa. Os menores escores de qualidade de vida foram identificados nos grupos com a presença dos filhos, sendo que, excepcionalmente no domínio relações sociais e nas facetas morte e morrer e intimidade, aqueles que viviam sozinhos tiveram piores avaliações. No modelo ajustado, verificou-se associação entre o tipo de arranjo domiciliar e os diferentes domínios e facetas de qualidade de vida. Conclusão: o arranjo domiciliar apresentou associação com escores de qualidade de vida de idosos da comunidade, mesmo após ajuste para as variáveis sexo, idade, número de morbidades e apoio social.

Pessoa idosa hospitalizada: preditores do declínio funcional

Hospitalized older adult: predictors of functional decline

João Paulo de Almeida Tavares, Lisa Alexandra Nogueira Veiga Nunes, Joana Catarina Gonçalves Grácio

Objetivo: identificar os preditores do declínio funcional em pessoas hospitalizadas com 70 ou mais anos, entre: baseline e alta; alta e follow-up e baseline e follow-up de três meses. Método: estudo de coorte prospectivo realizado em serviços de medicina interna. Aplicado um questionário (variáveis demográficas, clínicas e preditores do declínio funcional) em três momentos. Os preditores foram determinados utilizando o modelo de regressão logística binária. Resultados: a amostra incluiu 101 pacientes, 53.3% do sexo feminino, idade média de 82,47 ± 6,57 anos. Os preditores que mais contribuíram para o declínio na hospitalização foram: internação prévia (RC=1,8), acesso a apoio social (RC=4,86), déficit cognitivo (RC=6,35), contenção mecânica (RC=7,82) e não ter parceiro(a) (RC=4,34). A idade (RC=1,18) e o diagnóstico médico (RC=0,10) foram os preditores entre a alta e o follow-up. Ser mais velho, delirium durante a hospitalização (RC=5,92) e ter risco de declínio funcional (RC=5,53), foram preditores de declinio entre a baseline e o follow-up. Conclusão: os preditores mais relevantes foram idade, internação prévia, déficit cognitivo, contenção, apoio social, não ter parceiro(a) e delirium. Executar intervenções orientadas para minimizar o impacto destes preditores pode ser um importante contributo na prevenção do declínio funcional.

Enfrentamento da COVID-19 em região de fronteira internacional: saúde e economia

Coping with COVID-19 in an international border region: health and economy

Reinaldo Antonio Silva-Sobrinho, Adriana Zilly, Rosane Meire Munhak da Silva, Marcos Augusto Moraes Arcoverde, Enrique Jorge Deschutter, Pedro Fredemir Palha, Angela Sobral Bernardi

Objetivo: analisar como o isolamento social e o fechamento das fronteiras repercutem na saúde e na economia em região de fronteira internacional. Método: estudo descritivo-transversal realizado no Oeste do Paraná, Brasil, por meio do questionário eletrônico Formulários Google®. Foi estudada uma amostra de 2.510 pessoas. Utilizou-se a análise estatística descritiva e o teste qui-quadrado, com nível de significância de 5%. Pesquisa de opinião pública, com participantes não identificados, que atende às Resoluções 466/2012 e 510/2016. Resultados: a média de idade foi de 41,5 anos, a maioria é do sexo feminino e composta por trabalhadores do setor de educação; 41,9% indicam que o fechamento das fronteiras/comércio influenciou negativamente a renda e, para 17,7%, existe a possibilidade de desemprego. Para 89,0%, o número de pessoas adoecidas seria maior caso as fronteiras/comércio não tivessem sido fechadas; 63,7% indicam que os serviços de saúde não estão preparados para enfrentar a pandemia; 74,9% percebem que o Sistema Único de Saúde pode não ter capacidade de atendimento; 63,4% sinalizam ansiedade e 75,6% dos trabalhadores do comércio terão alterações na renda. Conclusão: o fechamento das fronteiras internacionais e do comércio relacionou-se à percepção de alterações físicas e mentais, perda de emprego e de renda.

Relações sociais e sobrevivência na coorte de idosos

Social relationships and survival in the older adult cohort

Mariangela Uhlmann Soares, Luiz Augusto Facchini, Fúlvio Borges Nedel, Louriele Soares Wachs, Marciane Kessler, Elaine Thumé

Objetivo: verificar a influência das relações sociais na sobrevivência de idosos residentes no sul do Brasil. Método: estudo de coorte (2008 e 2016/17), realizado com 1.593 indivíduos com 60 anos ou mais, em entrevistas individuais. Os desfechos relações sociais e sobrevivência foram verificados por Análise de Correspondências Múltiplas que orientou a proposição de matriz explanatória para relações sociais e a análise de sobrevivência por Kaplan-Meier e análise multivariada por regressão de Cox para verificar a associação entre as variáveis independentes. Resultados: o acompanhamento foi realizado com 82,5% (n=1.314), sendo 46,1% acompanhados em 2016/17 (n=735) e 579 óbitos (36,4%). O idoso que saiu de casa diariamente teve uma redução de 39% na mortalidade e ir a festas manteve o efeito protetor de 17% para sobrevivência. O menor risco de morte para as mulheres é modificado quando os idosos vivem em domicílios com duas ou mais pessoas, neste caso as mulheres apresentam risco 89% maior de morte do que os homens. Conclusão: relações sociais fortalecidas exercem papel mediador na sobrevivência. Os achados permitiram verificar a importância de sair de casa como marcador de proteção para a sobrevivência.

Fatores associados ao risco de violência contra mulheres idosas: um estudo transversal

Factors associated with the risk of violence against older adult women: a cross-sectional study

Rute Costa Régis De Sousa, Gleicy Karine Nascimento De Araújo, Rafaella Queiroga Souto, Renata Clemente Dos Santos, Rafael Da Costa Santos, Luana Rodrigues de Almeidal

Objetivo: identificar os fatores associados ao risco de violência contra mulheres idosas. Método: trata-se de uma pesquisa quantitativa, analítica e transversal, realizada com 122 mulheres idosas na cidade de Recife, Estado de Pernambuco, Brasil. A coleta de dados foi realizada por meio de instrumentos validados e adaptados para o Brasil. A análise foi realizada por meio de estatística descritiva (frequência absoluta e relativa) e estatística inferencial (qui-quadrado de Pearson, teste de correlação de Spearman e regressão logística múltipla). Resultados: houve prevalência de risco de maus-tratos em mulheres idosas com menos de 70 anos, alfabetizadas, sem união estável, morando sozinhas, sem nenhuma atividade laboral e com renda superior a um salário mínimo. Existe uma associação significativa entre o risco de violência entre mulheres idosas com maior número de doenças crônicas (24; 77,4%) e menos ativas em atividades avançadas (42; 70,0%). A redução da qualidade de vida e do nível de satisfação com a vida e o aparecimento de sintomas depressivos aumentam o risco de violência. Conclusão: multimorbidade, baixa capacidade funcional, sintomas depressivos, baixa qualidade de vida e baixa satisfação com a vida, elevado número de condições crônicas, sintomas depressivos e dependência funcional para a realização de atividades diárias podem ser fatores condicionantes para o surgimento de maus-tratos contra idosos.

Análise fatorial confirmatória do Maslach Burnout Inventory – Human Services Survey em profissionais de saúde dos serviços de emergência

Confirmatory factorial analysis of the Maslach Burnout Inventory – Human Services Survey in health professionals in emergency services

Sandra de Souza Pereira, Joana Fornés-Vives, Sara Guadalupe Unda-Rojas, Gerson Alves Pereira-Junior, Mario Francisco Juruena, Lucilene Cardoso

Objetivo: confirmar a validade fatorial do Maslach Bunout Inventory – versão Human Services Survey numa amostra de profissionais da saúde dos serviços de emergência. Método: estudo de abordagem quantitativa, exploratório, descritivo e analítico. Participaram do estudo 282 profissionais de saúde. Utilizou-se para a coleta de dados, um questionário sociodemográfico e o Maslach Burnout Inventory. A sensibilidade psicométrica dos itens do Maslach Bunout Inventory – versão Human Services Survey foi estimada pelas medidas de tendência central, variabilidade e forma da distribuição. A consistência interna foi estimada por meio do Coeficiente alfa de Cronbach e a adequação da amostra verificada por meio do índice de Kaiser-Meyer-Olkin (KMO). Como índices para a avaliação da qualidade de ajustamento do modelo foram considerados a razão de qui-quadrado pelos graus de liberdade (χ2 /gl), comparative fit index (CFI), goodness of fit index (GFI), índice de Tucker Lewis (TLI) e root mean square error of aproximation (RMSEA). Para testar o ajustamento dos dados utilizou-se o método de máxima verossimilhança. Resultados: confirmou-se a estrutura trifatorial do Maslach Burnout Inventory. Os itens 9, 12, 15 e 16 apresentaram peso fatorial abaixo do considerado adequado e foram removidos do modelo. O modelo hierárquico de segunda ordem, com as modificações mencionadas, apresentou ajustamento adequado aos dados e pôde ser considerado o melhor e mais parcimonioso modelo testado de acordo com os índices da teoria da informação. A consistência interna dos fatores do instrumento foi recalculada considerando-se a exclusão dos itens e foi considerada adequada nos três os fatores. Conclusão: os resultados obtidos mostram que o Maslach Burnout Inventory é um instrumento confiável e fatorialmente válido para medir a síndrome de o burnout em profissionais dos serviços de emergência no Brasil.

Solução de heparina na prevenção de oclusão do Cateter de Hickman® ensaio clínico randomizado

Heparin solution in the prevention of occlusions in Hickman® catheters a randomized clinical trial

Sandra Regina da Silva, Mitzy Tannia Reichembach, Letícia Pontes, Gisele de Paula e Silva Carneiro Mendes de Souza, Solena Kusma

Objetivo: avaliar a efetividade da solução de heparina 50 UI/mL comparada à solução salina isotônica 0,9% na prevenção de oclusão do Cateter de Hickman® duplo lúmen, 7 e 9 french, em pacientes submetidos ao transplante de células-tronco hematopoéticas. Método: ensaio clínico randomizado triplo cego. Foram analisados 17 cateteres duplo lúmen (grupo heparina n=7 e grupo solução salina isotônica 0,9% n=10) nos quais as duas vias do cateter foram avaliadas separadamente, totalizando 34 lúmens. As variáveis de desfecho foram oclusão sem refluxo e oclusão completa. As análises descritivas foram realizadas mediante o teste Qui-quadrado e, de sobrevida, sob o teste de Kaplan-Meier. Resultados: a média de dias até o desfecho oclusão foi de 52 no grupo heparina e de 13,46 no grupo solução salina isotônica 0,9% na via branca do cateter (p<0,001). Na via vermelha, a média de dias de acompanhamento do grupo heparina foi de 35,29, sem ocorrência de oclusão, e de 22,30 no grupo solução salina isotônica 0,9% até a primeira oclusão (p=0,030). Conclusão: o bloqueio com solução de heparina 50 UI/mL é mais efetivo em relação à solução salina isotônica 0,9% na prevenção da oclusão do Cateter de Hickman®. Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos: RBR-3ht499.

Validade e confiabilidade da versão brasileira do Patient Dignity Inventory (PDI –Br)

Validity and reliability of the Brazilian version of the Patient Dignity Inventory (PDI – Br)

Suzana Cristina Teixeira Donato, Toshio Chiba, Ricardo Tavares de Carvalho, Marina de Góes Salvetti

Objetivo: realizar a validação psicométrica da versão brasileira do Patient Dignity Inventory (PDI – Br), em pacientes com doenças avançadas em cuidados paliativos. Método: estudo metodológico de verificação das propriedades psicométricas do instrumento Patient Dignity Inventory (PDI – Br), por meio de testes de validade e confiabilidade. Resultados: a análise fatorial exploratória mostrou solução fatorial com 3 fatores, responsáveis por 40,9% da variância explicada, com consistência interna adequada para os domínios Presença de Sintomas (α=0,859), Dependência (α=0,871) e Sofrimento Existencial (α=0,759). O teste-reteste foi realizado e indicou correlações moderadas a fortes. A validade convergente demonstrou correlação positiva entre a Presença de Sintomas e as variáveis de tristeza (r=0,443) e ansiedade (r=0,464). Foram observadas correlações negativas fracas entre os domínios do PDI-Br e a funcionalidade, o bem-estar espiritual e a qualidade de vida. Conclusão: o PDI-Br composto por três domínios e 25 itens apresentou propriedades psicométricas satisfatórias para o uso do instrumento em nosso meio, por meio das evidências de validade e confiabilidade.

Artigos de Revisão

Eventos adversos relacionados à sonda nasogástrica/nasoentérica: revisão integrativa

Nasogastric/nasoenteric tube-related adverse events: an integrative review

Ana Paula Gobbo Motta, Mayara Carvalho Godinho Rigobello, Renata Cristina de Campos Pereira Silveira, Fernanda Raphael Escobar Gimenes

Objetivo: analisar na literatura científica as evidências sobre eventos adversos relacionados à sonda nasogástrica/nasoentérica em pacientes adultos. Método: revisão integrativa da literatura realizada em abril de 2017 por meio da busca de publicações em periódicos indexados no PubMed/MEDLINE, CINAHL, LILACS, EMBASE e Scopus, e de buscas manuais. Resultados: a amostra foi composta por 69 estudos primários, principalmente em inglês e publicados nos EUA e Reino Unido. Eles foram divididos em duas categorias e subcategorias principais: A primeira categoria refere-se aos Eventos Adversos Mecânicos - complicações respiratórias; complicações esofágicas ou faríngeas; obstrução da sonda; perfuração intestinal; perfuração intracraniana e remoção acidental da sonda e a segunda, alude a Outros - lesão por pressão relacionada à fixação e conexão incorreta. A morte foi relatada em 16 artigos. Conclusão: os eventos adversos relacionados à sonda nasogástrica/nasoentérica são relativamente comuns e a maioria envolveu eventos adversos respiratórios que resultaram em hospitalização prolongada e/ou morte. Os resultados podem contribuir para que os profissionais de saúde, especialmente enfermeiros, desenvolvam diretrizes baseadas em evidências para a inserção e posicionamento correto de sondas enterais à beira do leito em pacientes adultos.

Posição prona como ferramenta emergente na assistência ao paciente acometido por COVID-19: scoping review

Prone positioning as an emerging tool in the care provided to patients infected with COVID-19: a scoping review

Marília Souto de Araújo, Marina Marisa Palhano dos Santos, Carlos Jordão de Assis Silva, Rejane Maria Paiva de Menezes, Alexsandra Rodrigues Feijão, Soraya Maria de Medeiros

Objetivo: descrever as evidências científicas acerca da utilização da posição prona na assistência ao paciente com insuficiência respiratória aguda provocada por COVID-19. Método: trata-se de uma scoping review. O instrumento PRISMA Extension for Scoping Reviews foi utilizado para a redação do estudo. As buscas foram realizadas em sete bases de dados, resultando em 2.441 estudos dos quais 12 compõem a amostra. Uma análise descritiva dos dados foi realizada empregando frequências relativas e absolutas. Resultados: a utilização da posição prona ocorreu principalmente em Unidades de Terapia Intensiva, com duração mínima de 12 a 16 horas, e teve como fundamentos de indicação critérios específicos, tais como a relação PaO2/FiO2, a saturação de oxigênio e a frequência respiratória. As complicações mais prevalentes da sua utilização foram: extubação acidental, lesão por pressão e edema facial. Identificou-se a redução da hipoxemia e da mortalidade como principais desfechos evidenciados na amostra. Conclusão: os desfechos positivos sobressaíram-se face às complicações. São necessários vários ciclos de pronação do paciente, fator causador de possível sobrecarga de trabalho da equipe de saúde. Portanto, são importantes um adequado dimensionamento dos profissionais, uma equipe treinada e protocolos institucionais específicos a fim de se garantir a segurança do paciente nesse contexto.

Financiamento:CNPqSIBi

Contato

Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto - USP
Revista Latino-Americana de Enfermagem
Av. Bandeirantes, 3900 - Vila Monte Alegre
CEP: 14040-902 - Ribeirão Preto, SP, Brasil

Telefone: +55 (16) 3315-3387, +55 (16) 3315-4407, +55 (16) 3315-3451
E-mail: rlae@eerp.usp.br